quinta-feira, 13 de agosto de 2015

Capítulo Décimo: O LIVRO DE OURO DE SAINT GERMAIN

  
O Livro de Ouro de Saint Germain
Capítulo Décimo 

Energia Inesgotável

De séculos de atividade chegamos ao ponto focal, onde as experiências das idades entram em ação instantânea, onde todo tempo e espaço converte-se na única Presença de Deus em ação agora.

Sabendo que é a Presença de Deus “Eu Sou” que bate em vosso coração, sabeis que vosso coração é a Voz de Deus e que, à medida em que vós meditais e dizeis: “Eu Sou a Suprema e inteligente atividade de minha Mente e meu Coração” trareis para vós o verdadeiro e divino sentimento em que podeis confiar. Há tanto tempo vem a humanidade amando apenas na periferia do círculo. Uma vez que o estudante se torne verdadeiramente convincente que Deus é Amor e que a atividade de Deus-Amor projeta-se pelo coração, compreenderá que, ao enfocar sua atenção no desejo de projetar Amor para qualquer propósito, pode produzir este sentimento em grau ilimitado. Este é o privilégio supremo da atividade externa da consciência. A humanidade não compreendeu, até agora, que o Amor é um Poder, uma Presença, uma Inteligência, uma Luz e uma Entidade, que pode ser exaltada até tornar-se uma fogueira ilimitada. Está na capacidade de todo o indivíduo, especialmente se é estudante da Luz, de gerar esta Presença de Amor que se converte em uma invencível, inesgotável, pacificadora entidade, presente onde quer que o indivíduo a dirija.

Há os que dizem e creem que “ao Amor não se dá ordens”. E eu vos digo que o Amor é o Primeiro Princípio da Vida e pode ser gerado em qualquer grau e sem limite nenhum, para uso infinito. Tal é o privilégio majestoso, o uso da direção consciente que se pode dar ao Amor.

Quando digo “gerar”, quero dizer o abrir a porta pela devoção consciente à emanação desta fonte inesgotável de Amor Divino, que é o Coração de vosso Ser, o Coração do Universo.

Pela contemplação deste poder infinito do Amor, os estudantes convertem-se em uma fonte dessa emanação, de cujo uso infinito poderão dispor, dirigindo-o conscientemente.

Quando desejais expressar vossa liberação de tais e quais atividades externas, males dolorosos etc., Eu vos recomendo afirmar: “EU SOU a Presença que ordena, a Energia inesgotável, a Sabedoria Divina fazendo com que meu desejo seja cumprido”. Isto vos libertará de quaisquer condições indesejáveis de acordo com o grau de energia que a lei do vosso Ser possa permitir. E, agora, que sabeis isto, podeis saber, também que: “Na Presença “Eu Sou” agora permaneço intocado por toda condição exterior perturbadora. Sereno, eu cruzo meus braços e confio na ação perfeita da Lei Divina e na Justiça do meu Ser, ordenando que tudo em meu círculo apareça em perfeita Ordem Divina”.

Este é o maior privilégio do estudante e deve ser sua inspiração a todo momento. Aqui vos direi algo que deve ser muito animador para cada estudante que está lutando por alcançar a Luz. Ele está sendo temperado com o melhor aço, para que dure o maior tempo possível e suporte melhor a tudo, e seja o mais forte. Isto é o que a experiência da vida traz ao indivíduo.

Quando alguém anseia ser liberado e continua sofrendo experiências atribuladoras, estas não são mais do que o fortalecimento do caráter para dar a ele a última, perfeita e eterna Maestria sobre todas as coisas exteriores. Podeis, pois, com esta compreensão, regozijar-vos da experiência, pois ela vos está aproximando da gloriosa, maravilhosa Presença “Eu Sou”, para que mergulheis nela.

Assim, amados estudantes, não vos desespereis em meio às experiências que parecem pesar sobre vós. Enfrentai-as com alegria, porque, cada passo para a frente, leva à Meta Eterna e não tem que ser repetido. Que o estudante se recorde sempre do afirmar: “Eu Sou a Força, a Coragem, o Poder de adiantar, através de toda experiência, qualquer que seja, e permaneço alegre, elevado, cheio de Paz e harmonia em todos os momentos, pela gloriosa Presença que Eu Sou”.

Para o atleta, o momento antes da disputa está cheio de gloriosa expectativa, porém, à medida que se avizinha da meta e o adversário se aproxima, usa todos seus últimos esforços, o ar esgota-se e, com o último salto, alcança a linha da vitória.

Assim também ocorre com os estudantes na Senda. Sabem que, com a prática da Presença “Eu Sou”, não podem errar, de modo que só devem “apertar o cinto”, armar-se para o que seja necessário, e dizer adeus ao adversário. Porém, mais feliz que o atleta é o estudante que sabe, desde o princípio, que ele não pode fracassar porque “Eu Sou a Energia Inesgotável e Inteligente, sustentando-me.”

O poder de transmutação está contido na Presença “Eu Sou”. Isto deve ser lembrado em todo o momento. “EU SOU” o Princípio vital neste meu corpo. Em todas partes, até no coração de Deus, sou a Inteligência governante do Universo. Logo, quando eu quiser transmutar algo, não importa o que seja, eu sei que “Eu Souo Poder atuante, Eu Sou a
Inteligência dirigente, Eu Sou a substância que está sendo utilizada e que agora trago à manifestação visível para meu uso.”

A meditação desta frase, que acabo de dizer, permitirá ao estudante entrar nesta Atividade sem tensão nem ansiedade.

A dificuldade que enfrenta o estudante neste assunto da transmutação é a questão do dinheiro. A primeira pergunta é sempre: “Como se pode precipitar dinheiro sem interferir ou ultrapassar o limite determinado?

Desde que se estabeleceu o dinheiro como padrão de trocas baseado em lastro ouro, que é a segurança de toda emissão, deve-se recordar que houve inumeráveis desastres de todo tipo, nos quais se perdeu o ouro e remessas de dinheiro no valor de bilhões. Da mesma maneira, desapareceram milhares de toneladas de ouro de diversos países, submersas no oceano e enterradas nas profundezas por cataclismos. Portanto, como a precipitação é feita do ar, é ouro em seu estado natural. Teria ele que existir em enormes quantidades, para que houvesse o perigo de ultrapassar o limite de permissão legal para seu uso. Além disso, o ouro sempre é legal em seu uso, e como o mundo tem oferecido recompensas para que sejam produzidas maiores quantidades de ouro, por que não transmutá-lo e assim beneficiar o mundo? Porém, não me responsabilizo pelas perguntas que lhes sejam feitas, quando vós apresentardes vossa transmutação de ouro. Ainda não avaliastes o alcance da curiosidade da mente exterior, como ela se inflama quando é atraída sua atenção ao saber que possuís uma mina de ouro. Todas as perguntas sobre a origem de vosso ouro é uma sutil forma de indagação para descobrirem vossa fonte e aproveitarem-se dela. Minha opinião é que deveis responder a esta indagação assim: “Isto é ouro. Ao senhor não importa onde o comprei. Prove-o, analise-o. Se não é cem por cento ouro, pode deixá-lo, e se é ouro puro, o senhor é obrigado a recebê-lo pela Lei de seu Governo”.

Contudo, não esqueçam que a Presença “Eu Sou” é quem governa esse manancial. Ela é que o faz circular livremente.

Fim do capítulo 10


Postar um comentário