domingo, 22 de janeiro de 2017

Mestre Hilarion: PORTAL 111


Portal 111
Hilarion
Canalizada por Elsa Farrus
19/01/2017

A hélice do nosso DNA não é casual, ela é a força que impulsiona os giros eletromagnéticos do DNA.

Estas mudanças de energia que estamos experimentando, como a última Lua de 12/01 e pelo portal da manhã ou Portal 111, precisam de grandes doses de energia estejam fluindo através do nosso corpo.

Esta ocasião nos permite integrar tanto as energias entrantes da luz universal, como as vibrações de Gaia. Por outro lado, uma vez integradas, elas giram dentro de nós desenvolvendo uma espécie de resposta, ou realmente uma nova constituição do nosso campo eletromagnético, que flui vibrantemente e molda a nossa realidade.

Todas estas frequências de luz, são constantemente modificadas de acordo com a nossa essência, com nossa Akasha e com nosso DNA que alimenta nossas relações e emoções.

Estas decisivas hélices luz do nosso DNA são ao mesmo tempo receptores e transmissores, na construção do ser físico em união com o ser universal

É o que Kibalyon descreveu como sendo, de dentro para fora, assim como de fora para dentro.

Ambos estão em contínua sintonia, é por isso que o portal da manhã desde o final de dezembro passado, foi uma espécie de busca contínua de situações sentimentais que acabaram não resolvidas.

O que não assumimos:

Dizer que não vemos o movimento porque não vemos a origem da espiral, no EU FÍSICO.

Se o eu físico não está consolidado, nada é real, se não aceitamos sermos humanos, nada é real, se não aceitamos nossos compromissos cármicos, nada é real, foram matrizes paralelas que nos permitiram escapar do compromisso de ser, e que agora, vão se desintegrar no presente portal.

O DNA de todo o nosso corpo é a caixa de ressonância das vibrações, e está em todos os tecidos físicos, e se não tivermos resolvido o medo de estar encarnado com uma família física, que nós escolhemos, para realizar nossos trabalhos da alma, com meu ser, a partir do relacionamento com eles, então as frequências da luz ampliam essa ressonância, para serem atendidas e consolidadas, porque todo o meu ser contém essa genética, mais da metade do nosso corpo.

É por isso que os escolhemos trabalhar com essas vibrações, ou experiências, ou tempos de fechamento. E agora, neste período intenso de ascensão individual, as fraturas do não reconhecimento ou da dor, são energias baixas que nos enfraquecem quando precisamos manifestar concretamente a realidade de nossas criações.

Não se trata de carma, mas da abertura do conhecimento sobre as energias físicas de manifestação. Por isso elegemos este planeta da dualidade, para alcançar o domínio do equilíbrio interior, e a reunificação com o nosso ser interior, do silêncio e aceitação, para ouvir a Fonte de imensa energia que vem de dentro de nós, que faz parte de nosso ser e família física, porque nós estamos nela, e nela estão todos os outros, apenas parcialmente manifesto, desempenhando um papel de ressonância, que emitimos na consciência interior.

Não podemos implantar o MerKaBa multidimensional, se não resolvemos abrir o eixo da consciência de diamante, ou seja, o prana, as raízes, a aceitação do plano de vida, que é a chave para a sua libertação, mesmo se não terminarmos de desenvolver, pois as energias da ascensão nos abrem a possibilidade de cancelá-lo, mas, se a raiva reside dentro de nós pelas experiências vividas, em seguida, continuaremos recriando-a, até que entendamos.

Por isso as hélices do DNA giram novamente, em direção à visão e revisão interior, para podermos consolidar nossos fechamentos.

A energia que entra está fazendo que nos tornemos mais conscientes da importância de uma casa física, tanto de nosso corpo, como do ambiente de relacionamentos, como um lugar cósmico, sentido a três, e é real, é a fusão de nossos três Eu’s, uma maior consciência no presente momento físico, não só nos locais de meditação ou de iluminação, mas no cotidiano.

E, simultaneamente, a vibração de entrada também está restaurando a comunicação do nosso DNA, com toda a vida do lado de fora, por isso nos sentimos mais leves, mais emocionais, mais fluídos, porque estamos a restaurar a sensação na unidade, com toda seres vivos, e essa sensação nos emociona, e também nos dá a consciência dos milhares de anos de separação, é ok permitir-se expressar todos estes ciclos de mudança interna, eles estão lá, em curso, para um ser físico de luz,

Graças amados,

Hilarion a partir da frequência Esmeralda.

Elsa Farrus
Obrigado a todos por compartilhar esta canalização.

Traduzido por Adriano Pereira
Manaus/Amazonas
blogluzevida@gmail.com


Com Luz, Amor e Gratidão
Postar um comentário